Canelite, o terror dos corredores

É comum em uma roda de amigos que praticam corrida a pouco ou muito tempo ter vários assuntos em comum que vão desde tênis preferidos, competições futuras ou treinamentos a serem realizados e uma coincidência muito grande ou até mesmo igual para todos é a canelite, comum entre os corredores e tentaremos desvendar algumas duvidas e procurar amenizar esse terror dos corredores.




A canelite (Periostite) como é chamada popularmente ou a síndrome do estresse na região tibial medial é uma inflamação na região interna da tíbia (que é o osso da “canela”). Esta musculatura é responsável por levar o pé para cima e por isso durante a corrida essa dor é intensa, sendo que ela ocorre no impacto do calcanhar no solo, sendo que essa dor pode passar com o decorrer da corrida quando em estágios iniciais, podendo ser constante numa fase tardia da lesão.


Essa lesão muscular é mais comum nos atletas iniciantes que ainda não possuem adaptação completa para começar a correr, sendo necessário alguns cuidados básicos para se evitar esse tipo de lesão. Alguns dos fatores relacionados a canelite estão uso de tênis inadequado de acordo com o tipo de pisada, realizar os treinamentos em terrenos muito duros e com pouco absorção de impacto e que são muito íngremes, fraqueza muscular, falta de coordenação e postura durante a corrida e aumento da frequencia da corrida.


Essa lesão muscular é mais comum nos atletas iniciantes que ainda não possuem adaptação completa para começar a correr, sendo necessário alguns cuidados básicos para se evitar esse tipo de lesão. Alguns dos fatores relacionados a canelite estão uso de tênis inadequado de acordo com o tipo de pisada, realizar os treinamentos em terrenos muito duros e com pouco absorção de impacto e que são muito íngremes, fraqueza muscular, falta de coordenação e postura durante a corrida e aumento da frequência da corrida.ra os seguintes detalhes:


1) Pisada errada (descarga do peso inadequado)

2) Pé chato ou pronado

3) Ritmo de passadas muito longas

4) Falta de condicionamento físico

5) Falta de força muscular

6) Falta de flexibilidade

7) Tênis inadequado

8) Solo muito rígido e íngreme

9) Intensidade do treinamento

10) Grande frequencia do treinamento




Grande frequência do treinamentoar a pratica de atividades físicas deve procurar um profissional capacitado para orienta-ló quanto aos exercícios a serem realizados e meios para evitar futuras lesões. É importante também salientar a importância de uma avaliação postural, pois desta forma o praticante poderá procurar preventivamente uma forma de corrigir alguma deficiência, isso com aulas de RPG ou Pilates e até mesmo exercícios propostos pelo profissional em Educação Física.


Qualquer pessoa que deseja iniciar a pratica de atividades físicas deve procurar um profissional capacitado para orienta-lo quanto aos exercícios a serem realizados e meios para evitar futuras lesões. É importante também salientar a importância de uma avaliação postural, pois desta forma o praticante poderá procurar preventivamente uma forma de corrigir alguma deficiência, isso com aulas de RPG ou Pilates e até mesmo exercícios propostos pelo profissional em Educação Física.


Outro fator importante a ser observado é o tênis que a pessoa está utilizando, pois um par de tênis não é para a vida toda e por isso o mesmo deverá ser trocado de acordo com a frequência e quilometragem de utilização do mesmo, pois com o tempo ele perde seu poder de absorção de impacto. Uso de palmilhas também é recomendado, pois aumenta a eficiência do tênis em relação ao amortecimento. como outras lesões. Vale ressaltar novamente que a orientação de um profissional é extremamente importante para qualquer atividade física e que mesmo para os atletas mais experientes o fortalecimento muscular, exercícios de alongamento e um bom aquecimento auxiliam para evitar este e outros tipos de lesões. Outros cuidados que devemos ter são:


Repouso relativo, dando preferência para exercícios sem impacto como bicicleta ergométrica para manter o condicionamento físico.


Exercícios de alongamentos para os músculos da panturrilha


Conforme os sintomas vão regredindo, incluir os exercícios de fortalecimento geral para a musculatura da perna (panturrilha, tibial anterior, posterior e fibulares).



O tratamento da canelite pode ser feito através da fisioterapia que utiliza alguns recursos como ondas curtas, ultrassom, crioterapia (gelo) e até massagem no local lesionado para diminuir a dor muscular. A adequação postural é imprescindível, pois qualquer alteração do equilíbrio da pessoa pode acarretar uma sobrecarga muscular em determinada região do corpo ocasionando não somente esta, como outras lesões. Vale ressaltar novamente que a orientação de um profissional é extremamente importante para qualquer atividade física e que mesmo para os atletas mais experientes o fortalecimento muscular, exercícios de alongamento e um bom aquecimento auxiliam para evitar este e outros tipos de lesões. Outros cuidados que devemos ter são:

1) Alongamento de panturrilha: Em pé, apoie a ponta de um dos pés em um degrau, elevando a ponta dos pés (ante pé) e leve o peso do corpo para frente, até sentir um alongamento na região da panturrilha. Mantenha a posição por 30 segundos e repita o alongamento com o outro pé. Faça 3 vezes cada lado, alternadamente.

2) Alongamento tibial anterior: Sentado, com os joelhos flexionados e os pés bem apoiados, estenda um dos joelhos, “escorregando” o pé para frente sem tirar os dedos do chão (importante manter os dedos apontados para o chão). Leve o pé para frente até sentir um alongamento na região anterior da canela e no peito do pé. Mantenha a posição por 20 segundos e repita com o lado oposto. Repita o alongamento por 3 vezes cada perna alternadamente. Dica: coloque uma pequena toalha para facilitar o movimento e de preferência fazer em uma superfície lisa.


3) Fortalecimento da musculatura dos pés: Sentado, coloque uma pequena toalha sob um dos pés, e puxe-a com movimentos de flexão dos dedos. Faça o movimento por cerca de 5 minutos e repita com o lado oposto.

4) Auto massagem: A auto massagem pode ser útil para o relaxamento muscular e alivio da dor. Faça movimentos circulares com os polegares (fricção digital) ou com as palmas das mãos. Realize também movimentos de deslizamento com os dedos, aplicando uma leve pressão. Massageie a região dolorida com as mãos firmes, mas não há necessidade de aplicar muita força. Mantenha os movimentos por cerca de 10 minutos, ou até o alivio da dor. Caso não haja tempo para fazer durante o dia, esse exercício poderá ser feito durante o banho.


#corridaderua #corrida #prevensao #atividadefisica

7 visualizações